quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Luto, de Ricardo Chacal, em homenagem a Luiz Giban


apenas porque morremos
o sol voltará amanhã
exigindo que ao menos
um
de nós
tente de novo
                            (ítalo diblasi)
.
.

luiz, querido amigo,
vai pela luz vai pela sombra
penetrar as planícies da paz celestial
e aspirar fundo o ar que aqui lhe faltou

vai luiz, meu camarada,
vai pela luz vai pela sombra
colocar em movimento a moviola do céu
pra editar as sequências que imaginou por aqui

vai luiz, finíssima criatura,
com sua diplomacia e generosidade
amotinar as falanges do santo guerreiro
para dar um help na vida dos que ficaram

vai luiz, anjo em todas as dimensões,
que nessa aqui passaste só o trailer
saindo de cena quando ia entrar
como uma estrela que cai pro alto

luiz, meu caro, luiz
você foi mas sempre estará por aqui
nesse devir imperceptível
que rói a carne e se amolécula

aproveita luiz o projetor
multidimensional das salas do paraíso
e programa com tudo que tem direito
os filmes que você quis ver no odeon

vai luiz pela luz e pela sombra
e coloca em ação seus projetos
que essa vida miserável
não deixou acontecerem

vai luiz, vai na paz
confortar com sua frondosa sombra
tudo que se gesta no escuro
e que mais dia menos dia virá à luz

vai luiz vai na paz

............................................................
em memória do querido discreto e silencioso amigo
luiz giban
............................................................
Luiz Giban foi diretor de cinema (para conhecer um pouco de suas obras, https://vimeo.com/luizgiban), professor da Universidade Federal Fluminnse (UFF), doutorando do programa de Literatura, Cultura e Contemporaneidade, PUC-Rio